Tag Archive | writing

– home –

take me
to a place where
I can be free
where
I can be me
take me?
should I
take myself, should I
make this place
the one
I dream of?
it’s in my hands
in my power
in my mind
the stenght
and
the way to
find it
go
make it.

 

17 October 2017

Advertisements

Palavras | Words

Ando a sentir necessidade de escrever. Como se tivesse alguma coisa cá dentro a querer sair. Como se fosse esse o propósito de por aqui andar neste planeta, o meu desígnio.
Depois, acontece a vida. Trabalho, contas para pagar, família, amigos, hobbies e coisas que gosto de fazer e que me dão alegria, o simplesmente ficar a vegetar no fim-de-semana e recarregar as baterias, desligando o cérebro.
Como equilibrar esta necessidade que tenho, tão visceral, com o meu dom inato para a inactividade? Como fazer esse amor ardente pelas palavras ser mais forte que o cansaço e a preguiça e -A INTERNET- ?

Estou melhor em vários aspectos…agora conseguir fazer de algo que me move
de dentro para fora ser algo que me permita viver de alguma forma…como?
Um passo de cada vez, não é? Vamos aos poucos, um dia lá chegarei!

divider-line1
I’ve been feeling the need to write. Like I have something inside wanting to get out. As if that was the purpose of me being around on this planet, my design.
Then, life happens. Work, bills to pay, family, friends, hobbies and things I like and that give me joy, the plain and simple ‘couch-potatoing’ over the weekend, recharging batteries and turning my brain off.
How to  balance this need I have, so visceral, with in born gift to do nothing at all? How to make this ardent love for words be stronger than being tired and laziness and – THE INTERNET- ?

I am better in many aspects…now to achieve being able to do something
that moves me from the inside out as a means of living somehow…and how?
One step at a time, right? Bit by bit we go, I’ll get there someday!

Poesia FIB

Um blog que sigo, o Learning to Live like Water, apresentou-me esta forma de poesia: os FIB. Poemas com base na Sequência Fibonacci, que ditará o número de sílabas ou palavras em cada verso. Achei interessante, pois os números de Fibonacci fascinam-me, especialmente pela sua presença na Natureza lado a lado com a Proporção Áurea. Mas…isso serão temas para outras escritas, quem sabe!

De momento, quero partilhar convosco as minhas experiências neste formato de poesia que me intrigou. Tentei fazer FIB com sílabas métricas e palavras, chegando mesmo a fazer um ou outro com inversão dos números (limitei-me ao 5 e foi daí para trás); qual acham que funciona melhor?


pensamentos
constantes
procurando respostas
chegam mais dúvidas
não sei parar de pensar.
– 28.03.2017-
(fibonacci de palavras)

tantos caminhos abertos
tantas opções
dúvidas
indecisões.
– 28.03.2017 –
(fibonacci de palavras, em ordem inversa)

ser
mais
ser plena
ser capaz finalmente
saber que quero e como!
– 28.03.2017 –
(fibonacci de palavras)

sou.
sim
estou
enfim eu,
plena de questões.
– 28.03.2017 –
(fibonacci de sílabas métricas)

tantas paixões me assolam assim
tantas ânsias enfim
querer mais
fazer,
ser.
– 28.03.2017 –
(fibonacci de palavras, em ordem inversa)

Bem, agora fiquei com vontade de voltar aos poemas, de voltar a tentar haiku… veremos o que sai daqui!

Productive weekend

Been a nice couple of days, this weekend. I got a lot of stuff sorted out, from my papers, finance and clothes; I wrote, I crocheted, I read, I cooked and cleaned; I made sense of all electronics and cables I had lying around.
I had some fun times with my guy, got a phone call from a good friend from my home town, a visit from my bestie that lives across the street (sort of), I watched some good shows.

I am feeling generally well and good about myself, even though I feel lazy and wish the weekend had an extra day – in between Saturday and Sunday, for instance. On the other hand, I feel the urge to get things done; like planning out some blogging, writing some more on my stories – sorting out the structure to my JAFF project and getting it going, letting my curiosity about photography develop, etc. Many things.

Another thing I started doing this week, which I expect to keep up throughout the year and into the future, was practicing writing with my non-dominant hand. I think it will be an interesting exercise for my brain, as well as the meditation I have been trying to make a habit of mine (I have been slacking out a bit, especially on weekends, but I intend to keep on doing my 10 minutes during either my morning or evening commute).

I am also getting back to my physical exercise, rejoining yoga classes next Tuesday after a couple of months that I was unable to attend – in which I actually noticed the difference with the absence of this routine I was developing.

A few more plans for the upcoming year, hopefully to continue beyond that, that I’ll share as it goes along. Let’s hope this momentum I have keeps up!

How about you guys, how has this first week of the year been?

Bisous!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno IX

O dia 9 foi o mais difícil até ao momento. Erro e culpa apenas meus – a inteligência rara que vos escreve decidiu que ia experimentar os 10 minutos de meditação logo ao início da rotina matina, antes até do café! Não correu bem.
Sonolenta e sem foco, mas me apercebi do que se estava a passar, a mente viajou, irritei-me. Que frustração!

Todo o princípio deste exercício pareceu-me ficar derrotado, com esta vaga de ira comigo mesma por este erro e esta falha. Depois, apercebi-me que os 8 dias anteriores deram frutos e foram eficazes: libertei-me das emoções e pensamentos que teimavam em circular incessantemente na minha cabeça mais rapidamente do que o que estou habituada, simplesmente deixando-os ser, reconhecendo-os e deixando-os ir. Foi bom.

Ajudou igualmente a reconhecer a solução para este percalço: em vez de seguir para o dia 10, vou repetir o dia 9. Quero rever a animação, quero ouvir novamente as instruções, quero submergir nos 10 minutos que tanto bem me têm feito. De manhã, não consegui – a tecnologia não quis colaborar comigo. Pensei em fazê-lo na hora de almoço, mas coisas foram adiando tudo. Fica para a viagem de regresso.
Depois conto-vos como foi, este bis do dia 9. E fica o dia 10 para o último dia do ano!

Bisous!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno VII

Chegámos ao dia 7: sem olhos inflamados as coisas correm bem melhor!

Apesar do frio (sair da cama foi um sacrifício), o dia está lindo! Realmente é um privilégio viver neste país de sol. O céu está azul, quase sem nuvens, sereno.
É exactamente sobre o céu que fala a animação do dia 7, usando-o como metáfora para a mente. Certamente que a maioria de vós já se cruzou com aquela analogia que diz algo do género “nós somos o céu, permanente. as coisas porque passamos são as nuvens, vão aparecendo e desaparecendo mas nunca são permanentes, apenas o céu é permanente.” É um bocado por aí. Vão até à Google Play Store e procurem a Headspace, podem ver lá esta animação e as outras – e fazer os vossos 10 dias de 10 minutos de Mindfulness, gratuitos.

Hoje, foi dia de meditação em pé (os comboios já traziam muito mais pessoas) e a própria aplicação pôs a minha capacidade de me manter calma (ou me acalmar rapidamente) à prova: decidiu começar a dar erro, a repetir a animação sem seguir para o audio dos 10 minutos, e eu a stressar porque estava a perder o tempo da viagem e em andamento é um bocadinho mais difícil fazer o exercício, especialmente porque se perde a parte de estar de olhos fechados – ainda não estou preparada para esse grau de desafio, talvez no 9º dia.
De qualquer das formas, fechei a aplicação, respirei fundo, voltei a abri-la. Seleccionei o dia 7, começou a animação. Respirei fundo novamente, fechei a animação e força no play. Sucesso! Estava agitada pela irritação da tecnologia não estar a trabalhar a meu favor naquele dia, mas consegui chegar ao ponto zen pretendido. Sorri ao sair do comboio, ainda com o audio a correr os segundos finais da meditação (primeiro treino de meditar em movimento, check!)

Amanhã é o dia 8 dos 10, acho que me vou aventurar um bocadinho a tentar essa coisa de andar mindfully!
O que acham? Partilhem as vossas opiniões!

Abreijinhos!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno VI

De volta à rotina dos 10 minutos no comboio, hoje foi interessante por uma série de factores:
– menos pessoas no comboio, que significou lugar sentado garantido;
– menos pessoas no comboio, que significou mais silêncio na envolvência;
– alergia com que acordei, que me deixa os olhos hiper-sensíveis à luz e com dor;
– dia solarengo, cujo brilho do sol ao passar a ponte me deixou encandeada mesmo com óculos de sol e agravou o desconforto da alergia.

Foi um desafio acrescido, focar a atenção na meditação e no que era suposto estar a fazer, quando não parava de lacrimejar e sentir picadas nos olhos como se tivesse areia lá dentro. Ainda assim, sinto-me bem sucedida no dia 6 do take 10 da Headspace; consegui focar-me na respiração, não me prender a pensamentos mas deixá-los fluir, não ficar obsessivamente na sensação de desconforto ocular quando chegou a altura de fazer o scan à sensação do corpo. Estar aqueles minutos a não pensar apenas nisso e de olhos fechados (mesmo a levar com sol na cara, que ainda me incomodava os olhos) ajudou a aliviar os sintomas.
Acrescento ainda que me deixou mais bem-disposta e com disposição para trabalhar apesar do frio e desta alergia/conjuntivite e da vontade de ficar no quentinho a devorar o resto dos doces das Festas.

Dia 7, aí vou eu! Amanhã há uma nova animação antes dos 10 minutos, vamos descobrir sobre o que será…

Desse lado, alguém anda a experimentar a meditação, ou já é praticante activo? Algum curioso?
Têm dúvidas, perguntas, curiosidades que queiram partilhar? Serão muito bem vindos, comentem, vamos falar!