Tag Archive | Sol

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno VII

Chegámos ao dia 7: sem olhos inflamados as coisas correm bem melhor!

Apesar do frio (sair da cama foi um sacrifício), o dia está lindo! Realmente é um privilégio viver neste país de sol. O céu está azul, quase sem nuvens, sereno.
É exactamente sobre o céu que fala a animação do dia 7, usando-o como metáfora para a mente. Certamente que a maioria de vós já se cruzou com aquela analogia que diz algo do género “nós somos o céu, permanente. as coisas porque passamos são as nuvens, vão aparecendo e desaparecendo mas nunca são permanentes, apenas o céu é permanente.” É um bocado por aí. Vão até à Google Play Store e procurem a Headspace, podem ver lá esta animação e as outras – e fazer os vossos 10 dias de 10 minutos de Mindfulness, gratuitos.

Hoje, foi dia de meditação em pé (os comboios já traziam muito mais pessoas) e a própria aplicação pôs a minha capacidade de me manter calma (ou me acalmar rapidamente) à prova: decidiu começar a dar erro, a repetir a animação sem seguir para o audio dos 10 minutos, e eu a stressar porque estava a perder o tempo da viagem e em andamento é um bocadinho mais difícil fazer o exercício, especialmente porque se perde a parte de estar de olhos fechados – ainda não estou preparada para esse grau de desafio, talvez no 9º dia.
De qualquer das formas, fechei a aplicação, respirei fundo, voltei a abri-la. Seleccionei o dia 7, começou a animação. Respirei fundo novamente, fechei a animação e força no play. Sucesso! Estava agitada pela irritação da tecnologia não estar a trabalhar a meu favor naquele dia, mas consegui chegar ao ponto zen pretendido. Sorri ao sair do comboio, ainda com o audio a correr os segundos finais da meditação (primeiro treino de meditar em movimento, check!)

Amanhã é o dia 8 dos 10, acho que me vou aventurar um bocadinho a tentar essa coisa de andar mindfully!
O que acham? Partilhem as vossas opiniões!

Abreijinhos!

Advertisements

Movimento

Arrasta-se
em
passo
rápido
um pensamento batimento
de coração
fica por aqui.

Janelas opacas de luz sol
de olhos que internos
teimam em fugir.

Em fogo lento
se estufam ideias
de frenético querer
de ânsia intermitente
de constantemente
inconsequente
lânguido sonho
almejar obter.