Tag Archive | sad

Coisas da época

Dezembro em pleno
poucos dias para o ano terminar
O mundo finge-se sereno
Pois é hora do Natal celebrar.

Luzes e cores
Música e risos
Ignoramos um pouco as doresa_very_sad_christmas_story_with_a_happy_ending
Travamos ligeiramente os juízos.

Alardeiam-se sentimentos
de amor, bondade, caridade e fé
Pena que estes momentos
Sejam escassos e falsos até.

Todo o ano homens choram
Lutam por nada ter
Agridem-se e sangram
Buscam outra forma de ser.

Paz na Terra
Fraternidade
Sentimentos bonitos
Mas tanta falsidade

Que haja um Natal
Que todo o ano dure
Em que aquilo que apregoamos
Verdadeiramente perdure.

Sonia, 2016
Que o Natal possa ser de Verdade; e que o seja todos os dias.


Advertisements

Festas Felizes, ou a falta de espírito festivo

Estamos a 9 dias do Natal. Menos ainda, apenas 5 dias nos separam do Yule, Solistício de Inverno – que assinala o dia mais curto em horas de luz do ano e promete mais Sol a cada dia que passa.

Devia estar entusiasmada. Devia pensar em presentes, em comidinhas gostosas, em decorações.

Não estou. Não há foto temática nos meus perfis nas redes sociais – excepto a do anjo que adorna a frente da igreja, que ontem pus no Instagram, porque achei bonitinho. Não há árvore nem decorações lá em casa. Não há a playlist de Natal que o ano passado me atormentava com prazer todo o dia, que tenho no YouTube (em vez disso, ando a ouvir isto). Não há planos, nem presentes comprados, nem viagens planeadas.

Há vazio. Há saudade. Há dúvida. Há uma certa solidão. Há um toque de desespero – ou uma sensação de não ter chão, de estar um pouco perdida. Há questões sobre o sentido de viver como vivemos, de fazer as coisas como fazemos. Há medos primitivos sobre velhice, desamparo, doença, perda.

Creio que não estarei só neste sentimento. Creio que sei, de certa forma, que não estou. O mundo está a evoluir, a mudar e isso dói – todo o planeta está em sofrimento agora mesmo. Toda a Humanidade está em sofrimento agora mesmo. Growing pains, é a minha esperança. Uma viragem para algo diferente, melhor do que destruição e dor que temos agora. Eu estou a mudar e a evoluir e isso implica desorientação, confusão, dor, medo. Que o que cresce em mim seja diferente, melhor, também – e que consiga espalhar isso pelo mundo.

Uma parte de mim sabe que provavelmente daqui a um dia ou dois, o Espírito da época – aquela parte boa e bucólica – vai chegar a mim. Depois, logo se vê. Agora, a única coisa que quero do Natal é sossego.

Ainda assim: Festas Felizes – seja Natal, Kwanza, Hanukkah, Yule ou nada de religioso – e Paz na Terra a TODOS os Homens (e Mulheres)!

E porque hoje é dia de ensaio geral; porque amanhã é dia de concerto do Oasis Voices, no Auditório do Alto dos Moinhos às 21h, deixo aqui a pérola que me tem tocado mentalmente non-stop nos últimos dias:

 

Rickman. The voice I’ll never forget.

I never though I would be writing two of these in the same week.

Alan Rickman has passed away today. At the age of 69. From cancer.
Just like David Bowie, 3 days ago (was it just 3 days?seems it was longer)

What the gosh darned is wrong with the Universe?!

I will never forget his singular voice, that I could recognize so easily and found so rich and full.

I will always remember the Sheriff, Hans Gruber and Professor Snape.

Rest in Peace, Mr. Rickman. You will be remembered.

 

 

Bowie. Immortal.

David Bowie has passed away. The man, the human shell, is dead.

The soul, it is undying. The Chameleon shall never be truly dead.

Major Tom has made liftoff and left us last night.

But his work is eternal, magic and unique – touching generations before and generations to come.

Bowie is dead. Long live Bowie.