Archives

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno IX

O dia 9 foi o mais difícil até ao momento. Erro e culpa apenas meus – a inteligência rara que vos escreve decidiu que ia experimentar os 10 minutos de meditação logo ao início da rotina matina, antes até do café! Não correu bem.
Sonolenta e sem foco, mas me apercebi do que se estava a passar, a mente viajou, irritei-me. Que frustração!

Todo o princípio deste exercício pareceu-me ficar derrotado, com esta vaga de ira comigo mesma por este erro e esta falha. Depois, apercebi-me que os 8 dias anteriores deram frutos e foram eficazes: libertei-me das emoções e pensamentos que teimavam em circular incessantemente na minha cabeça mais rapidamente do que o que estou habituada, simplesmente deixando-os ser, reconhecendo-os e deixando-os ir. Foi bom.

Ajudou igualmente a reconhecer a solução para este percalço: em vez de seguir para o dia 10, vou repetir o dia 9. Quero rever a animação, quero ouvir novamente as instruções, quero submergir nos 10 minutos que tanto bem me têm feito. De manhã, não consegui – a tecnologia não quis colaborar comigo. Pensei em fazê-lo na hora de almoço, mas coisas foram adiando tudo. Fica para a viagem de regresso.
Depois conto-vos como foi, este bis do dia 9. E fica o dia 10 para o último dia do ano!

Bisous!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno VIII

Chegámos ao dia 8!
Consegui passar de uma semana, estou orgulhosa de mim – se continuar assim, pode ser que consiga, depois dos 10 dias de 10 minutos de meditação do programa Take 10 da Headspace, realmente criar um hábito de meditação e mindfulness.
Dizem que demoramos 21 dias a formar um hábito, não é? Algo do género, pelo menos. Bem, já não me falta tudo.

Hoje, consegui lugar sentada no comboio, na hora de ponta da manhã, o que por si só já é um feito – e algo porque estou grata. Realmente, estar confortável é uma parte importante deste exercício, nos dias em que não tenho esta sorte noto a diferença – embora os benefícios se façam sentir na mesma, talvez não tanto; ou tanto quanto nos dias que vou sentada mas com mais esforço da minha parte.

É um pouco mais do mesmo, verdade seja dita. Só que a mente já não foge tanto. As sensações são mais concretas, ao avaliar o corpo. O foco é mais fácil de atingir e manter, assim como é mais fácil reconhecer um pensamento e deixá-lo ir sem me prender infinitamente a ele. Gradualmente, vai-se fazendo sentir a diferença.
Durante a manhã de trabalho, tive a oportunidade, devido a um momento mais enervante, de praticar o estar presente para me acalmar e deixar os pensamentos (que nestas ocasiões, pelo menos a mim, andam em espiral, a piorar cada vez mais o estado mental e emocional) passar sem agravarem a situação nem estragar a serenidade e a concentração na tarefa.

Novidade de hoje no exercício? Reconhecer o humor subjacente às sensações, ao fazer o scan do corpo. É difícil, sinceramente. Achas que estás bem e descobres ali um desconforto ou uma angústia; ou pelo contrário, tens a sensação que está tudo mal e afinal apercebes-te que há uma certa leveza e serenidade que não tinhas visto antes, no meio daquele sentir pesado e triste.
Foi interessante explorar estas possibilidades.

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno VI

De volta à rotina dos 10 minutos no comboio, hoje foi interessante por uma série de factores:
– menos pessoas no comboio, que significou lugar sentado garantido;
– menos pessoas no comboio, que significou mais silêncio na envolvência;
– alergia com que acordei, que me deixa os olhos hiper-sensíveis à luz e com dor;
– dia solarengo, cujo brilho do sol ao passar a ponte me deixou encandeada mesmo com óculos de sol e agravou o desconforto da alergia.

Foi um desafio acrescido, focar a atenção na meditação e no que era suposto estar a fazer, quando não parava de lacrimejar e sentir picadas nos olhos como se tivesse areia lá dentro. Ainda assim, sinto-me bem sucedida no dia 6 do take 10 da Headspace; consegui focar-me na respiração, não me prender a pensamentos mas deixá-los fluir, não ficar obsessivamente na sensação de desconforto ocular quando chegou a altura de fazer o scan à sensação do corpo. Estar aqueles minutos a não pensar apenas nisso e de olhos fechados (mesmo a levar com sol na cara, que ainda me incomodava os olhos) ajudou a aliviar os sintomas.
Acrescento ainda que me deixou mais bem-disposta e com disposição para trabalhar apesar do frio e desta alergia/conjuntivite e da vontade de ficar no quentinho a devorar o resto dos doces das Festas.

Dia 7, aí vou eu! Amanhã há uma nova animação antes dos 10 minutos, vamos descobrir sobre o que será…

Desse lado, alguém anda a experimentar a meditação, ou já é praticante activo? Algum curioso?
Têm dúvidas, perguntas, curiosidades que queiram partilhar? Serão muito bem vindos, comentem, vamos falar!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno V

Feliz Natal!

Hoje foi o 5o dia da série de 10, com 10 minutos de meditação Mindfulness da aplicação Headspace.

Foi um dia diferente. Como acordei cedo para fazer comidinhas para o almoço de Natal, acabei por ir deixando os minutos zen para trás, até que eram 17h e ainda não lá tinha chegado. Verdade seja dita que cozinhar é zen também, mas é diferente.

Hoje, estava irritada quando pus os fones e comecei por ver a animação que estava associada ao dia 5 (têm algumas, curtinhas, que explicam aspectos da mente e da meditação). Subi o volume, recostei-me no sofá e ignorei o ar intrigado do meu namorado…E deixei-me ir pelas indicações que o áudio me dava. 10 minutos depois; abro os olhos, espreguiço-me e apercebo-me que relaxei ao ponto de quase adormecer. Um pouco fora do objectivo,mas soube bem. A irritação desapareceu e o resto do dia foi bom, relaxado, preguiçoso como um bom domingo deve ser.

Amanhã de regresso à versão comboio, dia 6. Vamos ver como corre!

Festas Felizes | Happy Holidays

Ontem fui um bocadinho Grinch, ao fim do dia, eu sei! Estava desanimada com a época, com as pessoas – com a vida até.

Há momentos assim, depois passa e é isso que importa.
Fui deixar algumas coisas na corda mais quente da Avenida da Liberdade, uma inciativa da Heat the Street que visa a distribuição de agasalhos a quem deles mais precisa nesta altura: aqueles que não têm um lugar onde se abrigar. Fui buscar um docinho para a mesa de Natal, que adoro. Recebi uma encomenda, com um miminho para a minha casa, antes do que esperava. E fiquei um pouco menos zangada com a Humanidade e o Mundo (ainda estou muito aborrecida, mas quero é celebrar o Amor e todas as coisas boas).

Por isso, almas esvoaçantes que me lêem – e que eu aprecio muito – a todos desejo:

festas-felizes


I was a bit of Grinch yesterday, with my poem, I know (even though it was in Portuguese, and you probably didn’t bother to translate, it was a bit of a sad rant about Christmas spirit and hypocrisy). I was really gloomy and down about the season, people – life, even.

There’s moments like that, but then we get over them – and that’s what matters.
I donated some stuff for an initiative that aims to get warm apparel to those who most need it this time of year: those who do not have a place to take shelter from the cold. I picked up a delicious cake that I love, for the Christmas table. I got a package with a small present for my house, which I didn’t expect to get before Christmas. And I was a little less angry with Humanity and the World (I’m still quite a bit upset, but right now I want to celebrate Love and all the good things).

So, you fluttering souls that read my – and whom I dearly appreciate – I wish you all:

postal-happy-holidays

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno IV

Dia 4 desta jornada de 10 pelo mundo da meditação e Mindfulness.

Hoje foi bastante diferente em cenário, mais tarde que o habitual e sentada em sossego à mesa da cozinha. Ajudou a trabalhar aspectos que nos outros dias tinham sido mais difíceis. Fiquei ansiosa por amanhã!

Vou passar uma véspera de Natal relaxada, serena, zen até.

Vejam este vídeo sobre o engarrafamento de pensamentos e o objectivo da meditação, é muito interessante: Meditation and Expectations

Vejo-vos amanhã, para contar como foi o dia 5. Feliz Consoada a todos!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno III

Três dias, três meditações no comboio, em 10 minutos. Hoje consegui lugar sentada e faz muita diferença na capacidade de relaxar e libertar tensão no corpo, realmente.
Atenção, ter feito os 10 minutos de ontem em pé foi excelente para me aperceber da diferença nas tensões e começar a aprender a aliviar a pressão muscular mesmo quando numa posição vertical – especialmente nos ombros e pescoço.

Para quem não faz ideia do que estou a falar com estes 10 dias de 10 minutos de meditação, comecei a jornada aqui. Continuado no dia 2 com desafios diferentes e hoje sinto progresso, por estranho que pareça em tão pouco tempo.
Talvez se deva ao facto de já ter praticado um pouco antes, quando fiz o mini-curso online na Future Learn; talvez a minha vontade de conseguir e a necessidade de obter benefícios e mudança na minha forma de estar e reagir me deixem mais predisposta à evolução de forma mais veloz.

Amanhã vai ser diferente: não há viagem de comboio! Vamos descobrir como será!
Uma coisa é certo: aos poucos vou-me apercebendo que não fico presa a pensamentos que não interessam, que deixo a mente fluir sem me apegar muito a uma coisa em particular – pelo menos naqueles 10 minutos, o que já é muito bom.

Por aí, como fazem para estar mais presentes no momento, mais conscientes do que vos rodeia, com mais serenidade?

Beijinhos!

10 dias de Minfulness para um Fim de Ano sereno II

Hoje foi o dia 2 dos 10 dias de Minfulness com a app de meditação Headspace, de que falo aqui.

Reforço do que foi feito ontem, aprender as bases. Focar a atenção, percepcionar sensações, aceitar os pensamento em vez de lutar contra eles – deixá-los fluir, simplesmente.

Não foi muito fácil, esta manhã, pois não consegui sentar-me no comboio: isso dificulta a parte do relaxar relativamente ao corpo. Não tivesse decidido aproveitar os  cerca de 12 minutos da viagem para isto, quem me anda assumir que vou sempre ter lugar para me sentar? lol

Mesmo assim, acho que fui bastante bem sucedida. Talvez por me sentir muito sonolenta ainda (o café ainda não estava a fazer efeito), o relaxamento foi suficiente – mas não cheguei ao ponto do sorriso leve. Fiquei-me pela serenidade no meio da correria, o que tendo em conta que me atrasei para o trabalho porque perdi o comboio foi um momento de valor acrescentado.

Vamos ver o que nos espera amanhã, 3º dia, às portinhas do Natal.

Têm dicas sobre meditação e mindfulness? Partilhem, vamos aprender juntos!

10 dias de Mindfulness para um Fim de Ano sereno

Ontem, algures na Internet, surgiu-me uma app para meditação, criada por um monge budista – a Headspace. Foi engraçado porque me estava a sentir sob alguma pressão e presa num ciclo vicioso de pensamentos não muito bons.

Há uns tempos, depois de algumas leituras sobre meditação e mindfulness, decidi fazer um pequeno curso introdutório na Future Learn em que aprendi muitas coisas e reuni recursos para aprofundar o conhecimento. Na altura, a diferença foi substancial – mas como em muitas coisas na minha vida, a prática deixou de ser regular e os benefícios diminuíram. Sinto a diferença mas acabo por procrastinar, como tão me é típico.

Foi por isso que a Headspace me chamou a atenção, com o seu plano de 10 dias gratuitos. Achei que seria um ritual giro para este fim de ano, tendo em conta que faltam 10 dias para terminar, fazer 1 meditação das 10 por dia até dia 31 – comecei hoje de manhã, no comboio, e devo dizer que me senti livre de stress e de irritação que a correria matinal normalmente me causam e  percorri o caminho restante até ao trabalho com um ligeiro sorriso e uma leveza no peito e no passo que ainda agora subsiste residualmente.

A Headspace é uma aplicação que vive de subscrição – e por cada subscrição eles doam uma a alguém que necessite e não tenha possibilidade, o que é muito porreiro. Vamos a ver se depois destes 10 dias, me tornarei subscritora fiel!

E vocês, meditam? Já experimentaram ou têm curiosidade?
Que técnicas usam, que dicas têm para reduzir o stress e viver com mais serenidade?

Solstício Feliz!

Bem-vindo, Inverno! Um Feliz Solstício para todos!

Deixo aqui alguma informação sobre o dia de hoje, que será o mais curto do ano:

“Este ano o Solstício de Inverno ocorre no dia 21 de Dezembro às 10h 44min. Este instante marca o início do Inverno no Hemisfério Norte, estação mais fria do ano. Neste dia, o sol no plano da eclíptica passará pela declinação mínima (latitude ao equador) de -23° 26′  4″(…). Produz também um dos dias mais curtos do ano no hemisfério norte: apenas 9h e 27min 4s em Lisboa. (…) A duração do dia será de:  9h e 8min em Bragança;  9h e 12min no Porto;  9h e 18min em Coimbra;  9h e 21min em Castelo Branco;  9h e 29min em Évora; 9h e 33min em Ponta Delgada;  9h e 37min em Faro;  10h e 0min no Funchal.”

O Inverno “(…) prolonga-se por 88,99 dias até ao próximo Equinócio que ocorre no dia 20 de Março de 2017 às 10h 29min.
Solstícios: pontos da eclíptica em que o Sol atinge as posições máxima e mínima de afastamento (altura) em relação ao equador, isto é, pontos em que a declinação do Sol atinge extremos: máxima no solstício de Verão e mínima no solstício de Inverno.
A palavra de origem latina (Solstitium) está associada à ideia de que o Sol devia estar estacionário, no movimento de afastamento ao equador, ao atingir a sua mais alta ou mais baixa posição no céu.” (fonte: Observatório Astronómico de Lisboa)

“Embora sua data não seja a mesma em todos os anos, pode-se dizer que ocorre normalmente por volta do dia 22 de Dezembro no hemisfério norte e 21 de Junho no hemisfério sul. Esse momento não é fixo no calendário gregoriano em função do ano tropical da Terra não ser um múltiplo exacto de dias.
Esta data tinha grande importância para diversas culturas antigas que geralmente realizavam celebrações e festivais ligados às suas religiões”, como os Chineses, os Romanos – com o festival de Saturnália e, após introdução do Cristianismo, a sua associação ao Nascimento de Cristo -, os Povos Germânicos do Norte da Europa, os Vikings e os Celtas – sendo hoje em dia um dos Sabbats do Neopaganismo, denominado Yule.

“(…) comemoração do Norte da Europa pré-Cristã. Os pagãos Germânicos celebravam o Yule desde os finais de Dezembro até aos primeiros dias de Janeiro, abrangendo o Solstício de Inverno. Foi a primeira festa sazonal comemorada pelas tribos neolíticas do norte da Europa, e é até hoje considerado o inicio da roda do ano por muitas tradições Pagãs. Atualmente é um dos oito feriados solares ou Sabbats do Neopaganismo. No Neopaganismo moderno, o Yule é celebrado no Solstício de Inverno, por volta do dia 21 de Dezembro no hemisfério Norte e por volta do dia 21 de Junho no hemisfério Sul. A passagem do Yule foi mais tarde aderida pelos cristãos simbolicamente comemorando o aniversário de Cristo, mas na verdade este só nasceu em Março (segundo as observações de eventos naturais e condições climáticas descritas desse período na bíblia). (…) Na Península Ibérica é costume festejar-se o Yule Ibérico, organizado conjuntamente pela Ordem Portuguesa de Wicca e pela Ordem Espanhola de Wicca.” (fonte: Wikipédia)

Que seja um dia feliz e que o frio não nos atormente muito! De hoje para a frente, as horas de luz começam a ser mais!