Archive | September 2016

A little favor to ask

Pretty please…
Keep your fingers crossed for me and send good energies my way?

This end of month and end of week might mean incredible changes in my life and I am feeling that weight of uncertainty that comes with it. I am wishing upon asking upon praying upon visualizing that the best outcome will happen, even though I am uncertain of which it will be. Give a girl a boost, will ya?

Thank you from the bottom of my heart, I will let you know how it all goes as soon as I have news!

reiki hands

Thought

Taking into
Careful consideration
I ponder.

Tires me, this thinking
Constant
Persistent.

Yet I do not know
how or when
could it stop.

To be is to think
to think is to be
Am I being or thinking me?

(free writing, as it flowed into my mind, on the afternoon of September 29th – no edits whatsoever)

Desabafando | Letting it out

Já se passou algum tempo. Ando a evitar chatear-vos muito com os meus dramas interiores e batalhas mentais, mas depois penso que este espaço foi feito para a partilha. Não só daquilo que “produzo” artisticamente, mas de mim – pelo sentido de conexão e união, de pertença até, que isso possa trazer: para vocês que me lêem e para mim que escrevo ( e recebo os vossos comentários e opiniões, que me enriquecem de tantas formas).

Ando irrequieta, interiormente. Sinto que se aproxima uma grande mudança, que de certa forma fui eu que pus em movimento, mas não estou preparada. Cheia de medos, de questões, de incertezas. Não ajuda que este instinto não seja algo de concreto, relativo ao que mudará em que aspecto da minha vida e como – é apenas aquela sensação intensa de que alguma coisa vai mudar, vai acabar, vai dar uma volta. E com essa sensação vem alguma angústia – o que me deixa ainda mais irrequieta e mais preocupada nesta cabeça de hiper-pensadora, ruminadora – que me enche de preocupação e de temores e me deixa paranóica.

Vamos a ver o que os próximos tempos me trazem, depois da confusão que foi o mês de Agosto em termos de relações familiares e estabilidade emocional…torçam por mim, sim?

It has been a while. I have been avoiding to nagg you too much with my inner dramas and mental battles, but then I think that this space was created for sharing. Not only what I “produce” artistically, but myself – for the sense of connection and union, even belonging, that it may bring: for you that read me and for me writing (and receiving your comments and opinions, which enrich me in so many ways).

I have been feeling restless inside. Feeling like a big change is coming, on that it was me who set in motion in some ways, but I am not ready. Filled with fears, questions, uncertainties. It does not help that this instinct is not defined, in regards to what is going to change in which aspect of my life and how – it is just this instense sentationthat something is going to change, to end, to take a turn, a 180º. With that sensation in comes some anguish – which makes me even more restless and more worried in this overthinking ruminating head of mine- which fills me up with worries and fears and makes me paranoid.

Let us see what times will bring, after the confusion all of August was in family relations and emotional stability…fingers crossed for me, ok?

Actualização ao Domingo | Sunday update

Ora eu sou uma rapariga que gosta de aprender coisas mas, ao mesmo tempo, sou preguiçosa e desisto com alguma facilidade – ou pelo menos, não mantenho a regularidade que gostaria nos hobbies que tenho e nas aprendizagens em que me meto.

A prova disso é esta mantinha que está em progresso desde o Inverno passado:

Well, I am a girl who likes to learn stuff but, simultaneously, I am lazy and give up kind of easy – or, at least, I am unable to keep the regularity I would like in doing my hobbies and the learnings I set up for.

Proof of that is this small blanket, a work in progress since last Winter:

Além do novelo que está a ser usado, ainda falta mais um para o projecto estar acabado. Tenho também um cachecol iniciado em que nunca mais peguei, mas esse faço num instante – e no que toca a tricot, são essas duas coisas que sei fazer, lol!

Tenho muitos interesses que são bastante dispersos, diga-se de passagem. Isso talvez contribua muito para a minha inconstância em fazer coisas que gosto ou aprender coisas que quero fazer.

Estas últimas semanas dediquei-me a aprender crochet, que é uma prática mais amiga do calor que o tricot, especialmente com lã. E hoje terminei a primeira peça, depois de começar e desfazer várias vezes até atinar com o padrão:

Besides the skein that is now in use, there is still another one to be worked into it before this project is completed. I also have a scarf that I have started and have not worked on in like forever, but that one I know I am able to finish in a jiffy – and when it comes to knitting, those two things are all I know how to make.

These last two weeks, I have been working on learning crochet, a practice which is friendlier to do during hot weather that knitting, especially with wool. Today, I have finished my first piece, after having started it and undone it several times until I had the pattern figured out:

Aqui temos o resultado final:

Here is the final result:

Graças a tutoriais no YouTube, tanto em português como em inglês, lá percebi a base da coisa…estou entusiasmada e vou continuar a praticar e a aprender! Com esta base e linha suficiente, já faço uma bela mantinha!

Mais novidades em breve!

Thanks to YouTube tutorials, both in English and Portuguese, I got the basics… I am very enthusiastic and will continue to practice and learn! With this foundation and enough thread, I am able to do a nice blanket!

More news soon!

Agorafobia

Agorafobia?
Um dia podia e iria
Entre sonhos e magia
A outro universo inteiro e diria
Que nada mais eu quereria
Voltaria
Sossegaria a alma inquieta
Escreveria tudo o que me afecta
Poderia dar de mim o melhor sem
Temor
Dor maior
De ser e não poder
De tremer a temer o pior
De fugir
De não sorrir
De fechar tudo em mim
Fechar-me de tudo enfim
Fechando a dor de mais um fim
Nada mais que negando dizendo sim
Agorafobia!
Caminho interrompido
Pesadelo escolhido
Na multidão perdido
Sem ar, ser mar
Sem som, ser cor
Sem ver, ser menos e mais
Exclamar estes ais (!)
Que guardo do mundo
Que corroem com medo
Neste rodopio mudo
Neste aberto segredo.
Agorafobia…
Nem tanto nem sei
Não é medo das pessoas
Nem é medo do que sei
É um terror que assola
Existência vã enfim
Agarrado gravitante a uma bola
De minérios a girar no universo sem fim.